Olavetes e patacoadas no MEC

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Pinterest
  • Compartilhar no Twitter

O Ministério da Educação tornou-se um ninho de cobras que se degladiam em torno de idéias que desviam a atenção de seus gestores do real foco da missão de cada um.

Olavetes e patacoadas no MEC

A influência de discípulos do polemista Olavo de Carvalho, considerado "guru" do presidente Jair Bolsonaro, tem causado transtornos no Ministério da Educação, desde a nomeação do ministro Ricardo Vélez Rodriguez.

O que temos visto são deslumbrados pelo poder, sem o devido preparo intelectual, nem experiência política, muito menos espírito público, agindo com apetite desmesurado pelo poder.

O ministro parece que ficou refém do olavismo, e com isso a cada semana acontece uma nova patacoada, e mais ainda: o que há agora é uma espécie de paralisia do MEC.

Isso tudo preocupa, pois o ministro deveria estar já com uma agenda propositiva, para trazer soluções ao principal desafio da Educação, que é tirar o País da lamentável posição em que se encontra no ranking mundial da Educação. As questões ideológicas acabam servindo de pretexto para ocupação de postos no MEC, de olavetes despreparados.

O próprio Olavo de Carvalho (que até o momento não conseguiu a embaixada dos Estados Unidos no Brasil) parece estar irado por conta disso, e solta seus venenos nas redes sociais, exigindo agora que seus pupilos saiam dos cargos que ocupam no MEC. Tem-se a impressão de que falta pulso forte ao ministro, que se deixa dominar por esse grupo e não consegue alavancar as medidas que se fazem necessárias para otimizar a sua gestão á frente do MEC.

O que precisamos é de planejamento estratégico, para que o MEC impulsione ações que efetivamente tragam melhorias na Educação, e não ficarmos em meio a um embate ideológico, que apenas protela ações concretas. Infelizmente a ação do polemista Olavo de Carvalho tem sido nefasta, comprovada a cada dia por fatos.

O "guru" da Virgínia tem também muitos seguidores entre católicos mais à direita. Muitos olavetes agem como milícias nas redes sociais, expurgando inimigos, fomentando uma espécie de macartismo, numa lógica reducionista da realidade (do bem x mal), demonizando pessoas, etc., e em nada contribuindo para construir possibilidades promissoras. 

O Ministério da Educação é um dos mais importantes, por isso tem imensos desafios pela frente, quando temos a nossa disposição tantos meios tecnológicos para fazer da Educação o caminho do desenvolvimento nacional, investindo nas pessoas, no conhecimento, para que as novas gerações deem conta do muito que temos por fazer para o Brasil alcançar os progressos que desejamos.

Por isso, se os olavetes quiserem mesmo atender ao pedido do guru Olavo de Carvalho e deixarem os gabinetes, estarão fazendo bem ao Brasil.

*Valmor Bolan é professor da Unisa. Ex-Reitor. Doutor em Sociologia. Pós-graduado em gestão universitária pela Organização Universitária Interamericana (OUI), sediada em Montreal, Canadá.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Pinterest
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Olavetes e patacoadas no MEC

Enviando Comentário Fechar :/