Inalar desodorante: trágico desafio

0
772

Conforme amplamente noticiado, a morte de Adrielly Gonçalves, de 7 anos, que teve uma parada cardíaca após ter inalado uma grande quantidade de desodorante aerossol, fez com que a família da menina desse início a uma campanha nas redes sociais.

Os pais da criança querem alertar sobre os perigos dos desafios irresponsáveis divulgados na web. A pequena moradora de São Bernardo do Campo, São Paulo, colocou o frasco na boca, espirrou o produto e desmaiou.

A inalação de desodorante pode provocar, entre muitos outros danos, asfixia, explica o conhecido pneumologista Renato Calil.

O médico afirma que o produto de higiene pode funcionar de forma semelhante a outras drogas inalatórias, como o lança-perfume e o loló. Ele acrescenta que a prática de inalar o desodorante não é nova no Brasil e que vem se tornando comum entre crianças e adolescentes da região Nordeste do país.

“O spray é composto por álcool, alumínio e gases, como o isobutano. O problema é que esses gases se juntam mais facilmente aos glóbulos vermelhos, responsáveis por transportar o oxigênio pelo corpo. Os gases, então, são transportados no lugar do oxigênio o que provoca a asfixia”, afirma o especialista.

Em algumas pessoas, o desodorante aerossol dá uma sensação de sufocamento mesmo quando usado para seu devido fim. Para evitar asfixia nesses casos é preciso tomar algumas medidas ao aplicar o produto debaixo dos braços.

Para evitar o sufocamento, o ideal é aplicar o desodorante quando estiver num local com boa ventilação, evitando locais fechados. Além disso, a pessoa deve virar o rosto para inalar a menor quantidade possível desses gases“, orienta Marina Maior, pneumologista da Policlínica Granato.

Dependência e doenças renais: consequências 

O pneumologista Renato Calil reforça que a morte e a perda de consciência são as consequências mais agudas e graves da inalação do desodorante, mas há outros efeitos nocivos ao organismo se o consumo for de longo prazo. É possível desenvolver dependência, ansiedade e irritabilidade, ter uma parada cardíaca e problemas renais.

A inalação pode levar ainda a uma lesão cerebral irreversível, com a destruição de neurônios. “Ao inalar, mesmo que pela boca, os gases entram no pulmão e se ligam, em questão de minutos, aos glóbulos vermelhos. Se isso é feito em um ambiente mais fechado, com um saco plástico na cabeça, por exemplo, pode ser fatal“.

Internet e crianças

Diretora do Instituto Psicoinfo, no Rio de Janeiro, Luciana Nunes assinala que os desafios da internet que atraem crianças e adolescentes ganham mais adeptos nas férias escolares, quando os estudantes têm mais tempo livre e são menos vigiados pelos pais, que estão trabalhando.

Uma criança de 7 anos precisa estar acompanhada por adultos quando acessa a internet, porque ela não tem maturidade ou discernimento sobre o perigo representado por esses desafios“, observa.

O desenvolvimento do córtex frontal, parte do cérebro responsável por funções cognitivas como a tomada de decisões, só é desenvolvida na adolescência. “Da mesma forma como colocamos uma grade para que a criança não se pendure na janela do apartamento, devemos colocar um filtro de segurança na web“, diz.

fonte: jcnet *Foto: Repodução/facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui