Dia da Consciência Negra

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

As comemorações do dia 20/11 devem significar um abraço de aceitação e valorização dos negros favorecendo uma consciência de real e efetiva integração racial brasileira.

Dia da Consciência Negra

O dia 20 de novembro é comemorado em vários municípios do Brasil, como feriado facultativo, com programação cultural, social e politica voltada à estudos e reflexão da condição social e cultural do negro em nosso País.

Em nossa história com mais de trezentos anos de escravidão, com a mão-de-obra escrava negra, muitos resquícios do passado, principalmente de preconceito e dificuldade da ascensão social, permaneceram até hoje; por isso, foram estabelecidas políticas públicas no sentido de permitir aos negros melhores oportunidades no mercado de trabalho, de estudo e participação na vida social.

Sem excessos, evidentemente, tais políticas têm o seu aspecto positivo, pois vem permitindo uma maior aceitação social no negro, em todas as instâncias do País. É certo que não houve aqui, no Brasil, os traumas de segregação raciais como ocorridos nos Estados Unidos, por exemplo. E que houve entre nós uma melhor convivência, e inclusive uma maior miscigenação de raças (não só com o negro, mas com o indígena, os imigrantes europeus, e outros, etc.). Mesmo assim, houve muitas situações em que o preconceito prevaleceu, privando oportunidades aos negros de participação e ascensão profissional na vida social.

A data que comemora o dia da consciência negra não pode servir, no entanto, para dividir a sociedade brasileira entre brancos e negros, pois isso nunca foi acentuado em nossa história. Existe uma peculiaridade entre nós, reconhecida por tantos estudiosos, de convergência, concórdia, encontro de povos e culturas, amálgama. Tudo isso foi bem descrito por Gilberto Freyre, em sua obra clássica “Casa Grande & Senzala”, mostrando o quanto cada raça contribuiu para a riqueza da cultura brasileira. Por isso, temos que valorizar todas as raças e populações que convivem em nosso território, respeitando-as, todas, porque cada um delas tem o seu valor e dá a sua contribuição.

O Dia da Consciência Negra, no entanto, serve para reforçar a importância de que precisamos ter maior acolhida com aqueles que muito ajudaram a construir a nação brasileira, com seu trabalho, cultura e arte. Trata-se de um reconhecimento daqueles que precisam do nosso apoio, da nossa estima, para que, juntos com as demais raças e povos que aqui convivem, sintam-se motivados a oferecer o que tem de melhor, para o desenvolvimento da nação brasileira. Assim como comemoramos o dia do índio, em 19 de abril, reservamos também o dia 20 de novembro, para manifestar nosso carinho pelos negros, que certamente são um patrimônio inestimável do nosso País. Viva o Povo brasileiro.  

*Valmor Bolan é Doutor em Sociologia e Especialista em Gestão Universitária pelo IGLU (Instituto de Gestão e Liderança Interamericano) da OUI (Organização Universitária Interamericana) com sede em Montreal, Canadá e Representa o Ensino Superior Particular na Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos do MEC.”.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Dia da Consciência Negra

Enviando Comentário Fechar :/