A cidade do saber

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Que o exemplo de escola em tempo integral em Mogi das Cruzes sirva de exemplo para outros prefeitos.

A cidade do saber

O ex-prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Bertaiolli, publicou pela Gente Editora, a obra “Cidade do Saber – Um Jeito Diferente de Pensar e Fazer Educação”, com o objetivo de apresentar, através de informações e dados estatísticos, exemplos concretos de projetos, ações e programas utilizados pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, na gestão 2009-2016.

Na apresentação do livro, o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab destaca que “em sua gestão Bertaiolli implantou o período integral, que não existia na cidade. Hoje, mais de 50% dos alunos da Rede Municipal estudam nas Escolas de Tempo Integral. Ao todo são cerca de 28 mil alunos que dedicam nove horas à escola e recebem cinco refeições diárias, fornecidas pelo Programa de Merenda Escolar, no qual todas as refeições do aluno são feitas na própria unidade”.

E assim explica Bertaiolli: “começamos a delinear o Programa Escola de Tempo Integral, que tem como conceito básico ‘Uma Cidade Educadora’, transformando o Município numa grande sala de aula a céu aberto. Fomos derrubando os muros sociais e separatistas, abrindo assim os horizontes do conhecimento, da informação, da cultura, do esporte, para os alunos da Rede Municipal de Ensino. A escola, a educação, a formação, tem que ser aquela que oferece a real oportunidade de igualdade para pobres e ricos, classes baixa, média ou alta, sem distinção”. Com essa disposição é possível concretizar iniciativas e projetos de efetiva democratização das oportunidades no mundo globalizado, para que todos indistintamente tenham acesso a informações e a oportunidades no mercado de trabalho.

Ainda em relação ao Programa de Escola de Tempo Integral, Bertaiolli diz que “as atividades complementares abrangem três eixos de conhecimento. O Intelectual contempla educação ambiental, reforço escolar e recuperação, informática, inglês, leitura e literatura, robótica, contação de histórias e jogos matemáticos. No de cultura, as crianças têm contato com artes visuais, dança, teatro e música. As oficinas esportivas completam a tríade, com práticas que vão de recreação e expressão corporal, atletismo e natação até ginástica artística e acrobática, judô, caratê, capoeira, taekwondo, passando por futsal, handebol, basquetebol, voleibol, xadrez, dama, rugby, badminton, tênis de campo e de mesa”. 

Todas estas atividades mostram a gestão dinâmica e integrada exposta no livro “Cidade do Saber”, comprovando assim que é possível somar a tecnologia, a criatividade, com vontade política, para realizações promissoras no campo educacional, também na administração pública.

 Que esta iniciativa sirva de referência para outros gestores públicos.

*Valmor Bolan é Doutor em Sociologia e Especialista em Gestão Universitária pelo IGLU (Instituto de Gestão e Liderança Interamericano) da OUI (Organização Universitária Interamericana) com sede em Montreal, Canadá e Representa o Ensino Superior Particular na Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos do MEC.”.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para A cidade do saber

Enviando Comentário Fechar :/